Portfólio2020-09-09T22:18:26-03:00

Projetos Residenciais Unifamiliares

O lugar de se viver, de se morar, de bem-estar, seja consigo ou com quem se ama é aquele que abriga integralmente os sonhos e realizações pessoais dos que nele habitam. Por isso, os projetos de arquitetura residencial unifamiliar precisam ser concebidos em total harmonia com a liberdade e o gosto pessoal do cliente, tratados com estética, funcionalidade e eficiência de todos os recursos utilizados para o mais elevado nível de satisfação e conforto ambiental.

Residenciais Unifamiliares projetos que funcionam de forma individual, para abrigar uma família apenas. Podem se chamar residências isoladas, estando livres e soltas no meio urbano ou dentro de condomínios horizontais privados.

Fazem parte deste tipo:

  • Casas individuais
  • Casas com quintal
  • Casas geminadas
  • Bangalôs de campo ou veraneio em sistema condominial
  • Casas em condomínio privado

Uma unidade residencial unifamiliar é constituída por uma habitação individual dentro de um lote com tamanho e espaço verde disponível variáveis. A habitação pode desenvolver-se em um ou vários níveis de pisos. A configuração mais frequente é em dois níveis, eventualmente com subsolo ou porão destinados a acolher garagens e/ou espaços de serviço, ou até mais níveis, em caso de terrenos com declividade acentuada.

As seguintes características são essenciais para uma residência unifamiliar:

  • Feita para ser  usada por um único núcleo familiar;
  • Por serem soltas em um lote de terreno, as aberturas para ventilação devem estar dispostas em todas as fachadas, de forma livre, porém segundo critérios estéticos e proporcionais.
  • Geralmente, os ambientes para as atividades noturnas, descanso e permanência prolongadas devem são orientados prioritariamente para o sudeste, sul e leste, de onde vem a ventilação predominante. Os ambiente destinados às atividades de menor permanência podem ficar situados nas demais posições.

Projetos Residenciais Multifamiliares

Morar em condomínios, sejam verticais ou horizontais, requer dos projetos de arquitetura uma multiplicidade que envolva essencialmente os anseios de bem-estar individuais e coletivos. Tal harmonia se alcança através de criações que contemplem as características de residências privadas tanto quanto as que concorram para a convivência prazerosamente compartilhada. Nesta modalidade de habitat, o paisagismo deve ser o elo mágico que conecta os interiores à cena externa, onde a natureza possa acenar com gentileza e intimidade.

Residências multifamiliares são todo tipo de projeto que pode comportar mais de um núcleo familiar, se tornando assim um condomínio de moradores. O condomínio pode ser vertical ou horizontal (conjunto de casas isoladas ou geminadas, cuja forma e estrutura dependerá do tipo de projeto e terreno onde será implementado.

Um projeto residencial multifamiliar, geralmente é implantado em um terreno de grande metragem a fim de comportar um bom espaço de área comum para convívio dos condôminos, bem como apresentar várias opções de espaços para lazer de forma comunitária.

Projetos de Ambientação

O conforto ambiental no design de interiores necessita ser imaginado dentro de um conjunto harmonioso que compreenda a criação estética, funcional, confortável, aconchegante e todas as virtudes capazes de proporcionar o prazer de viver bem. A iluminação bem dosada, a linguagem cromática, o tratamento adequado das superfícies, o mobiliário, os equipamentos e objetos devem se integrar em uma composição planejada cuidadosamente para soar como uma orquestra harmoniosa, flexível e bem regida. 

Projetos de ambientação devem adequar o espaço à necessidade e gosto pessoal do morador, para que assim, o conforto e o bem-estar sejam alcançados. Nesta perspectiva, o morador precisa se reconhecer no ambiente como parte deste, consequentemente, a empatia pessoal entre suas aspirações e o conforto desfrutado produzirá o bem-estar e a funcionalidade buscados na realização de uma edificação exitosa.

Elementos que complementam o ambiente:

  • Iluminação (fundamental para intensificando ou suavizando cores e mobília);
  • Materiais e Texturas (assim como revestimentos, são importantes para transmitir sensações);
  • Tecidos e resvestimentos (essenciais para definir o acabamento das superfícies, tendem a dar forma e significado ao espaço);
  • Cores (auxiliam a criar harmonia entre as formas, volumes e texturas);
  • Mobiliário (são utéis para refletir estilos pessoais e criar a funcionalidade do espaço).

Projetos Institucionais

Nos projetos corporativos a meta primordial são os resultados de sua praticidade funcional aliada a todo o conforto possível e desejado para abrigar suas atividades fins com o mais elevado nível de eficácia. Sem esquecer que a beleza e a função, além de imprescindíveis, devem estar entrelaçadas em busca da perfeição estética arquitetada com razão e equilíbrio.

Além disso, os projetos institucionais viabilizam o desenvolvimento de edifícios complexos, inteligentes, sustentáveis, que envolvem diferentes relações inter-humanas, ambientais e materiais, as quais são organizadas por um interesse central circundado pelo permanente fluxo de visitantes.

Fatores de importância em projetos institucionais:

  • Localização (escolha de lugares centrais da cidade, que sejam próximos a outras instituições de relação direta facilitando a intercomunicação);
  • Identificação do prédio (características que façam o prédio se destacar dos demais sem destoar do contexto a que será inserido);
  • Funcionalidade (utilidade do espaço para o fluxo de pessoas que o usarão diariamente, passando pelas questões ambientais e o cumprimento das legislações previstas);
  • Eficiência construtiva da obra (soluções econômicas de maneira criativa e inteligente para obter recursos de qualidade).